Portugal adotou recentemente uma lei para promover a igualdade de remunerações entre mulheres e homens e para efetivar o princípio de «salário igual para trabalho igual ou de igual valor».

Um dos instrumentos inovadores introduzidos por esta nova legislação é o Barómetro das Diferenças Remuneratórias entre Mulheres e Homens, que pretende oferecer mais e melhor informação estatística sobre esta matéria.

A primeira edição do Barómetro, apresentada no dia 27 de junho de 2019, num Seminário Internacional sobre Igualdade Salarial entre Mulheres e Homens, pretende ser uma ferramenta de apoio à reflexão, monotorização e promoção da igualdade remuneratória entre mulheres e homens por trabalho igual ou de igual valor, no âmbito da Lei n.º 60/2018, de 21 de agosto.

A primeira edição do Barómetro tem por base os dados dos Quadros de Pessoal de 2017 e reporta-se a todo o país, incluindo as Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores.

Pode consultar a folha destaque do Barómetro com os principais resultados.

 

Acesso ao Barómetro (ficheiro excel Barómetro.xlsx):

Consulte o Barómetro das diferenças remuneratórias entre Mulheres e Homens

27/06/2019

 

O Livro Verde sobre as Relações Laborais 2016 (LVRL 2016) apresentado, aos parceiros em sede de Comissão Permanente de Concertação Social (CPCS) em novembro de 2016, teve a coordenação científica do Prof. Guilherme Dray e foi elaborado por um conjunto de pessoas de diversos serviços do MTSSS.  

Trata-se de um diagnóstico abrangente do mercado de trabalho português (2006-2016), que procura atualizar e aprofundar a primeira versão deste documento datada de 2006.

No inicio de 2018, com o objetivo de atualizar os conteúdos do LVRL foi apresenta uma síntese dos principais indicadores do mercado de trabalho português, com referência aos dados mais recentes disponíveis, com especial enfoque nas questões da dinâmica do mercado de emprego, da segmentação e da contratação coletiva.

LVRL 2016- atulização

Capa da atualização do "LVRL 2016"

20/04/2018

ver pdf

 

Anteriores:

 

Na sequência dos debates em sede de concertação social foi estabelecido o Acordo relativo à aplicação da Retribuição Mínima Mensal Garantida(RMMG), vulgo salário mínimo, assinado a 22 de janeiro de 2016, entre o Governo e Parceiros Sociais com assento na Comissão Permanente de Concertação Social (CPCS).

O ponto 1 do referido Acordo estabelece que, o Governo e os Parceiros Sociais acordam em “proceder a um acompanhamento regular do impacto do aumento da RMMG aprovado pelo Decreto‐Lei n.º 254‐A/2015, de 31 de dezembro, no âmbito de um grupo tripartido no quadro da CPCS e com base num relatório trimestral a elaborar pelo Governo, já a partir de março de 2016, [que] reavaliará cada uma das cláusulas que fazem parte deste acordo”.

O GEP tem vindo a elaborar relatórios trimestrais de acompanhamento da revalorização da RMMG, que incluem, para além de uma síntese da evolução recente do mercado de trabalho, elementos sobre o acompanhamento dos impactos do aumento da RMMG, com base em diferentes fontes de informação estatística e administrativa.

RMMG
Salário Mínimo Nacional 45 anos depois | balanço e perpetivas atuais sobre o emprego e salários em Portugal  julho 2019

No ano em que se assinala o 45.º aniversário da fixação, pela primeira vez, do salário mínimo em Portugal, o GEP publica o Salário Mínimo Nacional 45 anos depois | balanço e perspetivas atuais sobre emprego e salários em Portugal que apresenta uma visão global sobre o período de atualização mais recente da RMMG, integrando, numa análise mais alargada sobre a situação e evolução recente do mercado de trabalho, os impactos associados ao aumento da RMMG, entre 2015 e 2019.

Outro material divulgado no evento que teve lugar no Cineteatro Capitólio:

Apresentação do GEP

- Salário Minimo Nacional 45 anos depois - Destaques

- Salário Minimo Nacional 45 anos depois - Bibliografia

- Salário Minimo Nacional 45 anos depois - Legislação

- Salário Minimo Nacional 45 anos depois - Legislação 1974 - 2019

Capa da publicação

24/07/2019

Errata (20/08/2019)

Relatórios anteriores:

O Grupo de Trabalho (GT), criado ao abrigo do Despacho n.º 8591-C/2016, de 1 de julho, dos Gabinetes dos Ministros das Finanças, Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e da Economia, teve como propósito acompanhar e monitorizar impacto económico da alteração da taxa do Imposto Sobre o Valor Acrescentado (IVA) para a taxa intermédia (13%) na prestação de serviços de alimentação e bebidas, nos termos do artigo 145.º da Lei n.º 7-A/2016, de 30 de março. 

Para esse efeito o GT, do qual fazia parte o GEP,  definiu um conjunto de indicadores relevantes, particularmente focados na monitorização da evolução dos preços e do emprego no setor de prestação de serviços de alimentação e bebidas, por forma a dispor de um adequado instrumento de monitorização (MONITOR), que seja, periodicamente, atualizado.

Acordou-se que, previamente, se sistematizava um conjunto de informação que permitisse uma caracterização e acompanhamento da evolução do setor nos anos mais recentes, comparando com a evolução do conjunto da economia, mas também acompanhando as atividades que constituem o próprio setor de atividade. 

Relatório Final- março 2019

Capa do "Relatório final - março 2019"

08/03/2019

ver pdf

 

Anteriores: