Semana Europeia da Programação: arranca novo ciclo de formação gratuita, 12, 19 e 26 de outubro de 2022

Semana Europeia da Programação: arranca novo ciclo de formação gratuita, 12, 19 e 26 de outubro de 2022

04/10/2022

Por ocasião da Semana Europeia da Programação (#CodeWeek), que se celebra em outubro com o objetivo de impulsionar o pensamento computacional, a programação e outras competências digitais, regressam os seminários de formação em linguagens computacionais organizados pela Comissão Europeia e pelo Parlamento Europeu em Portugal, através da Casa Europa.

O quê: o ciclo de formação inclui três seminários on-line dados por formadores certificados. Esta edição insere-se nas atividades da Semana Europeia da Programação com vista a reforçar a aprendizagem de programação, nomeadamente em Criação de Websites - HTML & CSS, Análise de Dados - Python e Introdução ao Design UX & UI para mobile, desafiando os participantes a expandir as suas competências digitais e contribuindo para o objetivo de aumentar o contacto com a programação e a literacia digital. A formação dá a oportunidade de assistir a módulos de iniciação aos conceitos básicos de programação, em que os participantes podem interagir com os formadores durante a sessão em direto, colocando perguntas que serão respondidas no chat por um dos formadores que acompanha cada sessão.

Quando: dias 12, 19 e 26 de outubro, às 18h30, com a duração de 1h30min cada

Onde: os seminários serão totalmente transmitidos em direto nas contas de Facebook e Twitter da Representação da Comissão Europeia e de Facebook e Twitter do Parlamento Europeu em Portugal. Posteriormente, as sessões ficarão disponíveis nessas redes sociais para consulta.

Para quem: tal como o ciclo em julho, esta segunda edição deste ano de formação online gratuita em programação é aberta a todos os interessados, mesmo sem conhecimentos prévios.

Recursos: os participantes que se inscrevam previamente e assistam aos seminários na íntegra recebem um certificado de participação e terão acesso à plataforma da Learn - Plataforma_1/2/3 - onde podem consultar as apresentações, exercícios e questionários e participar num fórum com os formadores e demais participantes.

Inscrições: já estão abertas no website da Representação da Comissão Europeia.

Contexto:

Desde 2020, o Parlamento Europeu e a Comissão Europeia em Portugal, através da Casa Europa, organizam ciclos de formação em programação, online e gratuitos, com uma elevada participação.

Como definido na prioridade Uma Europa preparada para era digital, a União Europeia (UE) está empenhada na capacitação digital, nomeadamente dos jovens, já que um nível adequado de competências digitais é essencial para que as pessoas aproveitem as oportunidades oferecidas pela transformação digital em curso.

Nas Orientações para a Digitalização, a Comissão Europeia propôs objetivos ambiciosos para dotar 80% das pessoas de competências digitais básicas e empregar 20 milhões de especialistas em TIC na UE até 2030, reduzindo simultaneamente as disparidades entre homens e mulheres.

No contexto do Mecanismo de Recuperação e Resiliência, incentivou-se os Estados-Membros a incluírem reformas e investimentos nos seus Planos de Recuperação e Resiliência, com o objetivo de impulsionar a formação em competências digitais e promover a literacia digital. Portugal é líder da UE no que toca aos serviços públicos digitais. No entanto, enfrenta uma série de desafios no domínio digital que podem ser abordados no seu Plano de Recuperação e Resiliência, cujas medidas de apoio à transição para uma sociedade mais digital representam um montante que corresponde a 22% da dotação total do plano.

#DigitalEU  #Codeweek  #EYY2022  #CasaEuropa

Para mais informação consulte o site da Comissão Europeia "Semana Europeia da Programação: arranca novo ciclo de formação gratuita".


GEP apoia reabilitação de equipamentos sociais em Cabo Verde

GEP apoia reabilitação de equipamentos sociais em Cabo Verde

16/09/2022

No âmbito da cooperação com o Ministério da Família, Desenvolvimento e Inclusão Social de Cabo Verde, o GEP tem vindo a apoiar a reabilitação de equipamentos sociais geridos pela Organização das Mulheres de Cabo Verde (OMCV), na Ilha do Fogo, em Cabo Verde. 

O atual projeto de desenvolvimento sociocomunitário apoiado pela Cooperação Portuguesa e executado em parceria com a OMCV, no município de São Filipe, visa beneficiar a população em situação de maior vulnerabilidade, nomeadamente, idosos e crianças, em zonas de maior risco, pelo isolamento geográfico e precariedade socioecónomica (famílias de agricultores e criadores) e/ou acesso dificultado à educação e serviços. 

No seu conjunto, integra seis Jardins-de-Infância rurais e um Centro de Dia para idosos, que acolhem um total de 465 crianças, 120 idosos (dos quais 70 em apoio domiciliar) e cerca de 40 trabalhadores, sendo o financiamento destes equipamentos maioritariamente assegurado pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social de Portugal (MTSSS).

O projeto tem vindo a sofrer uma transformação positiva, ao longo dos últimos 10 anos, com especial relevo a partir de 2017, que decorreu de alterações no enquadramento político e legal em Cabo Verde, com novos planos e regulamentos direcionados à educação pré-escolar e ao apoio a idosos, mas também de investimentos cofinanciados pelo GEP/MTSSS, traduzindo-se em melhorias significativas nas infraestruturas dos diversos equipamentos sociais e no apoio prestado aos beneficiários dos projetos – uma mudança que foi gerida com dinamismo pela equipa da OMCV, que revelou empenho em melhorar os serviços prestados e, inerentemente, a qualidade de vida das comunidades que serve.

No passado mês de agosto, foi concluída a renovação de mais dois Jardins-de-infância, em Patim e Curral Ocho, onde as obras visaram reconstruir/reabilitar os edifícios, de forma a proporcionar melhores condições nos espaços de aprendizagem, incluindo a construção de mais salas, permitindo acolher mais crianças e dividi-las em grupos, por faixa etária, mantendo-se a preocupação pela integração de crianças com necessidades educativas especiais através de acessibilidades inclusivas. Os jardins infantis dispõem ainda de uma sala comunitária para atividades com os pais/encarregados de educação e com a comunidade, onde são realizadas atividades de sensibilização sobre saúde, educação, saneamento, vacinação e saúde reprodutiva. No presente, são os únicos equipamentos sociais existentes nestas comunidades.

Em anos anteriores, haviam já sido reabilitados os jardins-de-infância de Luzia Nunes (2017) e Achada Mentirosa (2019), adquirida uma nova viatura de passageiros para apoio aos idosos (2020) e obras de melhoria no Centro de Dia (2021), para além do apetrechamento em mobiliário e materiais didáticos para os novos espaços renovados.

Veja a Reportagem da TCV – Televisão de Cabo Verde (25/08/2022).

Foto: Jardim Infantil de Curral Ocho (OMCV)


Novo website do Serviço Europeu de Recrutamento de Pessoal da UE – EPSO

Novo website do Serviço Europeu de Recrutamento de Pessoal da UE – EPSO

22/07/2022

O Serviço Europeu de Recrutamento de Pessoal da UE – EPSO (European Personnel Selection Office) lançou o seu novo website no passado dia 15 de julho.

De entre as novas funcionalidades, destaca-se a criação de uma rede/base de dados de organizações na área da Diversidade & Inclusão:  Diversity & Inclusion | Careers with the European Union (europa.eu).

Através da o preenchimento de um formulário (Registration Form – EPSO D&I database), as organizações em causa terão acesso a informação regular sobre os concursos EPSO, que poderão partilhar internamente. “


Apelo à Ação de Durban sobre a Eliminação do Trabalho Infantil

Apelo à Ação de Durban sobre a Eliminação do Trabalho Infantil

20/07/2022
O Apelo à Ação de Durban sobre a Eliminação do Trabalho Infantil resultou da 5ª Conferência Mundial sobre a Eliminação do Trabalho Infantil  que decorreu em Durban (África do Sul), em maio de 2022.
 
O documento destaca a necessidade de uma ação urgente, porque “as consequências da pandemia da COVID-19, de conflitos armados e de crises alimentar, humanitária e ambiental ameaçam reverter anos de progresso contra o trabalho infantil”.
 
A Declaração inclui compromissos em seis áreas diferentes:
 
  • Tornar o trabalho digno uma realidade para pessoas adultas e jovens em idade superior à mínima de admisssão ao emprego, acelerando os esforços das várias partes interessadas para eliminar o trabalho infantil, dando prioridade às piores formas de trabalho infantil.
  • Acabar com o trabalho infantil na agricultura.
  • Reforçar a prevenção e eliminação do trabalho infantil, incluindo as suas piores formas, trabalho forçado, escravidão moderna e tráfico de pessoas, e a proteção de sobreviventes através de políticas e programas com base em dados, fundamentadas pelos sobreviventes.
  • Reconhecer o direito das crianças à educação e garantir o acesso universal à educação e à formação gratuitas, obrigatórias, de qualidade, equitativas e inclusivas.
  • Concretizar o acesso universal à proteção social.
  • Aumentar o financiamento e a cooperação internacional para a eliminação do trabalho infantil e do trabalho forçado.
 

 

Consulte!

Fonte: OIT-Lisboa


GEP apoia requalificação de equipamentos sociais em Moçambique

GEP apoia requalificação de equipamentos sociais em Moçambique

20/07/2022

No âmbito da cooperação com o Ministério do Género, Criança e Ação Social de Moçambique, o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social de Portugal, através do Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP), tem vindo a financiar diversas obras de requalificação de equipamentos com respostas sociais naquele país africano. 

De entre as intervenções mais recentes, destaca-se as obras realizadas no Projeto “Apoio ao Centro de Dia Mães de Mavalane”, gerido pela Sociedade Missionária da Boa Nova, que integra cinco equipamentos sociais situados em vários bairros na periferia da cidade de Maputo, entre os quais Mavalane A e Mavalane B.

No final de 2021, este projeto beneficiou de um reforço financeiro para a realização de obras de manutenção e requalificação do parque infantil e do pavilhão gimnodesportivo do projeto, bem como para a construção de uma torre para armazenamento de água e de uma infraestrutura de apoio à escola integrada no Centro de Dia. As obras decorreram nos primeiros meses de 2022 e contribuirão para a melhoria das condições destes equipamentos que garantem várias respostas sociais, das quais beneficiam milhares de crianças e jovens.

As obras no parque infantil beneficiam cerca de 250 crianças em risco, com idades entre os 3 e os 6 anos, que frequentam o Jardim Infantil “Mães de Mavalane B”. O reforço financeiro do GEP foi fundamental para melhorar as condições de acolhimento das crianças apoiadas, que são provenientes de famílias vulneráveis e/ou que vivem abaixo do limiar de pobreza. O jardim infantil garante-lhes o acesso a um conjunto de bens e serviços básicos essenciais, como alimentação, cuidados básicos de saúde, fardamento, assistência pré-escolar e desenvolvimento de competências para uma melhor integração no ensino básico.

As restantes obras beneficiam os 4.000 jovens que frequentam o Centro de Dia “Mães de Mavalane”, cerca de um terço dos quais detentores de atestado de pobreza, que são apoiados com material escolar e, num total de 363 jovens, também com alimentação, fardamento e acesso ao sistema de ensino.

O projeto “Apoio ao Centro de Dia Mães de Mavalane” é um dos quatro projetos atualmente apoiados pelo MTSSS no âmbito do Programa de Cooperação que assinou com o Ministério do Género, Criança e Ação Social de Moçambique, na sua maioria dirigidos a crianças e jovens em situação de grande vulnerabilidade.

Foto: Jardim Infantil (SMBN)


Relatório do Conselho da Europa sobre o reconhecimento jurídico da identidade de género na Europa (Primeiro relatório de revisão da implementação da Recomendação CM/Rec(2010)

Relatório do Conselho da Europa sobre o reconhecimento jurídico da identidade de género na Europa (Primeiro relatório de revisão da implementação da Recomendação CM/Rec(2010)

15/07/2022

No passado dia 7 de junho foi publicado o Relatório do Conselho da Europa sobre o reconhecimento jurídico da identidade de género na Europa (Primeiro relatório de revisão da implementação da Recomendação CM/Rec(2010).

Neste relatório o Conselho da Europa faz uma análise sobre o desenvolvimento do reconhecimento jurídico da identidade de género, nos países europeus. 

Verifica-se uma tendência geral de apoio aos direitos das pessoas LGBTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans e Intersexo) na Europa. 

Nos últimos dez anos, registou-se um progresso legislativo no sentido de afastar o legado de patologização dos procedimentos do reconhecimento jurídico da identidade de género. 

No que se refere à eliminação da exigência de divórcio, dos procedimentos do reconhecimento jurídico da identidade de género, constata-se que essa exigência mantem-se em alguns Estados-Membros do Conselho da Europa. 

Por último, é de referir que o relatório avança com algumas recomendações gerais. A legislação sobre igualdade de tratamento deve ser acompanhada de medidas políticas apropriadas para sua implementação e revisões regulares. Os Estados-Membros que não dispõem de legislação antidiscriminação que proteja especificamente a identidade de género devem avançar para a sua introdução. Os motivos ligados à identidade de género ou características sexuais da vítima devem ser considerados como “circunstâncias agravantes”.

Mais informação

Relatório do Conselho da Europa sobre o reconhecimento jurídico da identidade de género na Europa (Primeiro relatório de revisão da implementação da Recomendação CM/Rec(2010) disponível aqui.

Consulte!

 


MTSSS recebe visita oficial da Vice-Primeira-Ministra e Ministra da Solidariedade Social e Inclusão de Timor-Leste

MTSSS recebe visita oficial da Vice-Primeira-Ministra e Ministra da Solidariedade Social e Inclusão de Timor-Leste

15/07/2022

No âmbito do relacionamento bilateral entre o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social de Portugal e o Ministério da Solidariedade Social e Inclusão de Timor-Leste, decorre entre 11 e 15 de julho a primeira visita oficial a Portugal da Vice-Primeira-Ministra e Ministra da Solidariedade e Social e Inclusão de Timor-Leste, Armanda Berta dos Santos. 

A visita incluiu encontros com a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social de Portugal, Ana Mendes Godinho, o Secretário de Estado da Segurança Social (SESS), Gabriel Bastos, e com a Secretária de Estado da Inclusão, Ana Sofia Antunes, e ocorre na sequência da recente visita do SESS a Timor-Leste, que culminou com a assinatura de uma Convenção bilateral sobre Segurança Social.

O programa incluiu igualmente reuniões com diversos dirigentes dos serviços e organismos do MTSSS que mais têm contribuído para a criação e consolidação do Sistema de Segurança Social em Timor-Leste no quadro da cooperação entre os dois ministérios, nomeadamente a Direção-Geral de Segurança Social, o Instituto da Segurança Social, IP, o Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, IP e o Instituto de Gestão dos Fundos de Capitalização da Segurança Social, IP e o Gabinete de Estratégia e Planeamento. 

A Vice-Primeira Ministra visitou ainda alguns equipamentos sociais, designadamente a Casa de Acolhimento Gil Teixeira Lopes do Centro de Educação e Desenvolvimento (CED) Santa Clara e o CED Jacob Rodrigues Pereira, da Casa Pia de Lisboa, a Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Cascais (CERCICA), o Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e, ainda, uma casa de abrigo para mulheres vítimas de violência doméstica, gerida pela Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV).

 

Foto: GEP/MTSSS. Da esquerda para a direita: Secretária de Estado da Inclusão, Ana Sofia Antunes; Vice-Primeira-Ministra e Ministra da Solidariedade e Social e Inclusão de Timor-Leste, Armanda Berta dos Santos; Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho; Secretário de Estado da Segurança Social, Gabriel Bastos.


Relatório anual da Comissão Europeia - Evolução do emprego e a situação social na Europa 2022 - Young Europeans: Employment and Social Challenges Ahead

Relatório anual da Comissão Europeia - Evolução do emprego e a situação social na Europa 2022 - Young Europeans: Employment and Social Challenges Ahead

14/07/2022

A Comissão Europeia publicou, dia 12 de julho, o seu relatório de 2022 sobre a evolução do emprego e a situação social na Europa (ESDE). O relatório anual ESDE, que é o documento de análise emblemático da Comissão sobre o emprego e os assuntos sociais, fornece análises económicas atualizadas, bem como propostas políticas conexas.

O relatório de 2022 revela que os jovens estão entre os mais afetados pela perda de postos de trabalho durante a crise económica provocada pela pandemia e que a recuperação foi mais lenta do que para outros grupos etários. Considera que as explicações possíveis estão relacionadas com a elevada percentagem de contratos a termo certo e com as dificuldades em encontrar um primeiro emprego quando terminam a escola, a universidade ou cursos de formação.

Baseando-se nos dados anuais mais recentes, o relatório conclui que:

  • A recuperação da pandemia de COVID-19 não foi uniforme. Os jovens (com menos de 30 anos) continuam a enfrentar desafios significativos para encontrar emprego ou para encontrar empregos que correspondam às suas competências e experiência;
  • Em média, há uma maior probabilidade de os jovens terem de enfrentar uma situação social e financeira difícil. Embora existam diferenças acentuadas entre os países da UE, os agregados familiares compostos por jovens são mais pobres;
  • Os desafios que os jovens enfrentam dependem do seu nível de escolaridade e da sua origem socioeconómica;
  • O género é outro fator de desigualdade entre os jovens. Quando iniciam a sua carreira, as jovens europeias ganham, em média, menos 7,2 % do que os seus colegas do sexo masculino, um fosso que aumenta com a idade.

O novo relatório ESDE, pretende identificar e apoiar as políticas sociais e de emprego necessárias para ultrapassar as dificuldades que os jovens enfrentam para se tornarem economicamente independentes, face ao agravamento da situação socioeconómica devido à invasão da Ucrânia pela Rússia.

Neste contexto, o relatório ESDE fornece uma análise sobre a forma de resolver os problemas dos jovens. Conclui que as políticas sociais e de emprego deveriam:

  • Fomentar a integração de jovens no mercado de trabalho;
  • Permitir que os jovens adquiram competências;
  • Apoiar a mobilidade dos trabalhadores, um elemento essencial para uma carreira bem-sucedida e resiliente;
  • Reduzir os riscos com que os jovens se deparam (desemprego, doença, pobreza, dívida);
  • Ajudar os jovens a construir a sua própria riqueza e a adquirir propriedade.

Mais informação

Relatório anual da Comissão Europeia - Evolução do emprego e a situação social na Europa 2022 - Young Europeans: Employment and Social Challenges Ahead disponível aqui .

Consulte!

 


Portugal e Timor-Leste assinam Convenção sobre Segurança Social

Portugal e Timor-Leste assinam Convenção sobre Segurança Social

30/06/2022

Foi assinada esta quarta-feira, dia 29 de junho, a Convenção sobre Segurança Social entre Portugal e Timor-Leste, pela Vice-Primeira Ministra e Ministra da Solidariedade Social e Inclusão de Timor-Leste, Armanda Berta dos Santos, e pelo Secretário de Estado da Segurança Social de Portugal, Gabriel Bastos, numa cerimónia ocorrida em Díli, no âmbito da sua visita oficial a Timor-Leste. 

De acordo com as declarações do Secretário de Estado à agência Lusa, “esta é uma convenção muito importante, porque permite a mobilidade dos trabalhadores e famílias e a proteção dos direitos adquiridos ou em curso de aquisição, desses trabalhadores, à proteção social”.

A Convenção terá agora de ser ratificada por ambos os países, devendo posteriormente ser objeto de um acordo administrativo para efetivar a sua implementação.

A deslocação do Secretário de Estado da Segurança Social a Timor-Leste, realizada em representação da Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, teve início no passado dia 24 de junho e conta com a presença de uma delegação constituída pelo Chefe de Gabinete do Secretário de Estado, pelo Diretor-Geral do Gabinete de Estratégia e Planeamento e pela Subdiretora-Geral de Segurança Social. 

Para além da assinatura da Convenção, o programa desta missão, que visa o reforço das relações de cooperação nas áreas de competência de ambos os ministérios, inclui a realização de visitas a algumas das respostas e equipamentos sociais apoiados no âmbito do Programa de Cooperação bilateral vigente, e a participação na Conferência de Alto Nível sobre Segurança Social e Desenvolvimento Humano, promovida pelo Instituto Nacional de Segurança Social de Timor-Leste, em parceria com o projeto ACTION/Portugal, implementado pela Organização Internacional do Trabalho e financiado pelo GEP/MTSSS.

Foto: MSSI-TL


Candidaturas para a atribuição da distinção de “Sítio da Democracia Europeia” a decorrer até ao dia 15 de julho de 2022

Candidaturas para a atribuição da distinção de “Sítio da Democracia Europeia” a decorrer até ao dia 15 de julho de 2022

28/06/2022

“A distinção “European Democracy Sites” (“Sítio da Democracia Europeia”) foi lançada em 2022, por iniciativa do Parlamento Europeu em colaboração com a Casa da História Europeia. O objetivo da distinção é premiar e homenagear sítios web em todos os Estados-membros da União Europeia, que foram relevantes para a consolidação da democracia europeia no processo de integração europeu.

A distinção é de valor simbólico e consiste numa placa a ser afixada pelos vencedores. O processo de nomeação e seleção envolve um conjunto de historiadores independentes. Todos os anos, o prémio será atribuído a pelo menos um sitio web por Estado-membro da União Europeia. A atribuição anual da referida distinção pretende contribuir para o processo de construção da Rede Europeia de sítios web da Democracia Europeia.

A Casa da História Europeia visa tornar estes sítios "vivos" através de uma forte programação e trabalhando em estreita colaboração com as respetivas comunidades, as suas instituições educativas locais, organizações juvenis e ONG. A distinção “European Democracy Sites” complementa a actual programação educacional da Casa, que se centra na educação para a democracia e tornar os cidadãos europeus mais ativos na promoção dos valores europeus e o conhecimento partilhado sobre a integração europeia entre indivíduos e Estados-membros.

Neste contexto, os interessados poderão apresentar as respetivas candidaturas para atribuição da distinção de “Sítio da Democracia Europeia”, encontrando-se o processo de candidaturas a decorrer até ao próximo dia 15 de julho, de acordo com o regulamento em anexo. A candidatura deverá ser apresentada em formulário próprio, igualmente em anexo, e deve ser remetida para o seguinte endereço: heh-democracysites@europarl.europa.eu“.

Consulte!

 

 


IGFSS realiza formação para quadros são-tomenses

IGFSS realiza formação para quadros são-tomenses

28/06/2022

Uma delegação do Instituto Nacional de Segurança Social de São Tomé e Príncipe (INSS), liderada pelo Diretor, Maykel Viegas, encontra-se em Portugal até 30 junho para participar numa ação de formação na área da cobrança coerciva de dívidas à Segurança Social, ministrada pelo Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social (IGFSS, IP).

O programa desta formação, que decorre entre 20 e 30 de junho, tem como objetivo proporcionar a observação ‘in loco’ dos processos do IGFSS no domínio da cobrança coerciva de dívidas à Segurança Social, bem como fornecer à equipa de técnicos e dirigentes do INSS, numa lógica de formação presencial, conhecimentos que possam ser úteis na concretização deste setor em São Tomé e Príncipe, cuja implementação se encontra em curso.

Esta iniciativa realiza-se no âmbito da Cooperação desenvolvida entre o Ministério do Trabalho Solidariedade e Segurança Social de Portugal (MTSSS) e o Ministério do Trabalho Solidariedade Família e Formação Profissional de São Tomé e Príncipe (MTSFFP), que incluirá outras ações no quadro da capacitação institucional, dirigidas aos quadros do MTSFFP, em estreita colaboração com diferentes organismos do MTSSS. Estas atividades decorrerão de 2021 a 2025, período em que vigorará o Programa de Cooperação a assinar entre os ministérios homólogos.

Foto: IGFSS


Cabo Verde publica primeiro Boletim Estatístico da Proteção Social

Cabo Verde publica primeiro Boletim Estatístico da Proteção Social

23/06/2022

Foi publicado em Cabo Verde o primeiro Boletim Estatístico Nacional sobre Proteção Social, que reúne indicadores de todo o sistema de proteção social do país, abrangendo tanto os regimes contributivos como os não contributivos, relativo ao período de 2016 a 2020. Os dados permitem conhecer melhor a realidade da Proteção Social no país, contribuindo para a definição de políticas de extensão da cobertura de proteção social mais eficientes, bem como para a monitorização do progresso da meta 1.3 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) relativa aos pisos de proteção social.

A cerimónia de lançamento decorreu a 22 de junho, na cidade da Praia, com a presença do Ministro da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social de Cabo Verde, Fernando Elísio Freire, e do Embaixador de Portugal, António Albuquerque Moniz. Na sessão de apresentação foi detalhado o processo de elaboração do boletim, a cargo do Grupo de Trabalho sobre Estatísticas da Proteção Social, bem como as suas possíveis leituras, numa mesa redonda que contou com participações da Presidente do Centro Nacional de Prestações Sociais (CNPS), da Presidente do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) e do Presidente do Instituto Nacional de Estatística (INE) de Cabo Verde.

Há vários anos que o GEP/MTSSS tem vindo a apoiar os Países Africanos de Língua Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste, através do Projeto ACTION/Portugal, implementado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), no reforço das capacidades das instituições nacionais para monitorizar indicadores de proteção social e estabelecer as bases para a criação de sistemas estatísticos abrangentes e integrados de proteção social. O apoio assumiu a forma de atividades de formação, intercâmbio de experiências, criação de dinâmicas de trabalho em rede e assistência técnica às instituições nacionais com responsabilidade no sistema de proteção social. 

O Boletim Estatístico sobre Proteção Social de Cabo Verde tem origem no curso de estatísticas de proteção social, realizado no âmbito do ACTION/Portugal, em 2018, em Cabo Verde, tendo por destinatários os PALOP e Timor-Leste. O curso pretendia favorecer o estabelecimento de grupos temáticos de trabalho reunindo as instituições responsáveis pelos sistemas de proteção social (contributivo e não contributivo) e os institutos nacionais de estatística. Abordou a importância das estatísticas administrativas e colocou o desafio aos países de reunirem as estatísticas de proteção social num único documento. O sucesso da formação levou ao desenvolvimento de três fases sucessivas, em 2019, 2020 e 2021. O curso contou com o apoio técnico e formativo do GEP, através da Chefe da Equipa Multidisciplinar de Difusão de Informação Estatística e Avaliação de Políticas de Solidariedade e Segurança Social, Rita Figueiras, que ministrou os módulos sobre a desagregação dos dados de Proteção Social, indicadores essenciais, a análise e leitura dos dados estatísticos e princípios para a harmonização e interoperabilidade das bases de dados.

Em resultado da formação, foi constituído o Grupo Interinstitucional de Trabalho sobre a Estatística de Proteção Social (GITEPS), agregando as instituições nacionais cabo-verdianas participantes, que com o apoio do GEP/MTSSS, enquanto parceiro financiador, e da OIT, viriam a concretizar este primeiro Boletim Estatístico da Proteção Social de Cabo Verde.
A publicação anual de informação estatística atualizada, que se pretende seja cada vez mais desagregada e fiável, irá favorecer a tomada de decisões informadas na implementação e seguimento de políticas de proteção social, na conceção da resposta em matéria de proteção social perante eventuais situações de crise (pandemias ou calamidades) e ainda na monitorização dos resultados alcançados pelas instituições nacionais no cumprimento das suas atribuições, contribuindo para a transparência da gestão pública.

Mais informação 

1.º Boletim Estatístico da Proteção Social de Cabo Verde disponível aqui.

Consulte!

 

Foto: MFIDS Cabo Verde. Da esquerda para a direita: António Albuquerque Moniz, Embaixador de Portugal na Praia; Fernando Elísio Freire, Ministro da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social de Cabo Verde; Nuno de Castro, Coordenador do Projecto ACTION/Portugal.

 


OIT e Portugal assinam acordo para a fase 3 do Projeto ACTION/Portugal

OIT e Portugal assinam acordo para a fase 3 do Projeto ACTION/Portugal

20/06/2022

No dia 14 de junho, foi firmado um acordo de cooperação entre o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social de Portugal (MTSSS) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT) para a implementação da fase 3 do projeto ACTION/Portugal sobre "Reforço dos Sistemas de Proteção Social nos PALOP e Timor-Leste".

O acordo foi assinado pela Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social de Portugal, Ana Mendes Godinho, e pelo Diretor Regional da OIT para a Europa e Ásia Central, Heinz Koller, à margem da Conferência de Alto Nível para Lançamento do Estudo da OIT “Conduzir a mudança: O futuro do trabalho no setor automóvel português”. 

O ACTION/Portugal é um projeto implementado pela OIT e financiado pelo Gabinete de Estratégia e Planeamento do MTSSS, que visa contribuir para o reforço dos sistemas de proteção social dos PALOP e de Timor-Leste, designadamente através da extensão da sua cobertura e da qualidade das suas estatísticas. O projeto teve início em 2015 e concluirá a segunda fase em julho de 2022. A implementação da 3.ª fase, agora acordada, terá início em agosto do presente ano e prolongar-se-á por 36 meses.

Os beneficiários diretos deste projeto são as instituições públicas dos PALOP e de Timor-Leste implicadas no desenvolvimento e implementação dos pisos nacionais de proteção social; as instituições responsáveis pela administração da proteção social não contributiva e contributiva e as instituições encarregues de programas e políticas de desenvolvimento económico e social e da redução da pobreza. As pessoas excluídas ou não cobertas adequadamente pela proteção social (regimes contributivos e não contributivos) e seus familiares constituem os beneficiários finais do projeto.

A renovação deste projeto resulta do firme compromisso de Portugal no apoio à área da proteção social aos PALOP e de Timor-Leste, no quadro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. A parceria de longa duração constitui uma garantia de apoio aos PALOP e Timor-Leste, num contexto de grande incerteza e instabilidade nas relações de cooperação internacional. 

Esta assinatura, tal como reiterado pela Ministra Ana Mendes Godinho, reflete também o reconhecimento do MTSSS pelo trabalho desenvolvido e pelos resultados alcançados pela OIT nas fases anteriores. 

Importa, ainda, realçar a importância da complementaridade entre a cooperação bilateral e multilateral no apoio ao desenvolvimento de sistemas robustos de proteção social nos países parceiros. Terá agora início a fase de definição do documento de projeto, que deverá centrar-se em três objetivos específicos estreitamente ligados e articulados: i) Avançar para a universalização da proteção social; ii) Promover a boa governação e a sustentabilidade financeira dos sistemas de proteção social e; iii) desenhar, planear, monitorizar e avaliar a proteção social com base em mais e melhores dados estatísticos. 


Recrutamento por Mobilidade Interna – 9 postos de trabalho, 30 de maio de 2022

Recrutamento por Mobilidade Interna – 9 postos de trabalho, 30 de maio de 2022

30/05/2022

O Gabinete de Estratégia e Planeamento está a recrutar,  em regime de mobilidade na categoria, nove técnicos superiores.

Estes procedimentos destinam-se a quem já seja detentor de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado.

 

Áreas temáticas
Grupo Área Temática Sub-área Temática Área Temática
Ciências Matemática Matemática
Ciências Estatística Estatística e Investigação Operacional
Economia, Gestão, Administração, Contabilidade Economia, Gestão Economia
Direito, Ciências Sociais e Serviços Ciências Sociais Sociologia
     
Áreas temáticas
Grupo Área Temática Sub-área Temática Área Temática
Ciências Matemática Matemática / Matemática Aplicada
Ciências Estatística Estatística 
Ciências Ciências de Computadores e Informática Informática
     
Áreas temáticas
Grupo Área Temática Sub-área Temática Área Temática
Ciências Matemática Matemática
Ciências Matemática Matemática / Matemática Aplicada
Ciências Estatística Estatística
Economia, Gestão, Administração, Contabilidade Economia, Gestão Economia
Economia, Gestão, Administração, Contabilidade Economia, Gestão Gestão
Ciências Estatística Estatística e Gestão de Informação

Conferência

Conferência "A Segurança Social nos Países de Língua Oficial Portuguesa: Experiências e Aprendizagens", 30 e 31 de maio de 2022

30/05/2022

Nos dias 30 e 31 de maio irá realizar-se a conferência "A Segurança Social nos Países de Língua Oficial Portuguesa: experências e apresendizagens", no Convento de São Pedro de Alcântara.

A sessões irão abordar os desafios que as estruturas de segurança social dos diferentes países de Língua Oficial Portuguesa enfrentam.

A inscrição é gratuita através de envio de e-mail para: ainscricoesseminario@gmail.com.

Consulte o Programa aqui.

Mais informações: cideeff@fd.ulisboa.pt


Recrutamento por Mobilidade Interna – 6 postos de trabalho, 24 de maio de 2022

Recrutamento por Mobilidade Interna – 6 postos de trabalho, 24 de maio de 2022

24/05/2022

O Gabinete de Estratégia e Planeamento está a recrutar,  em regime de mobilidade na categoria, seis técnicos superiores.

Estes procedimentos destinam-se a quem já seja detentor de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado.

 

Áreas temáticas
Grupo Área Temática Sub-área Temática Área Temática
Ciências Matemática Matemática
Ciências Estatística Estatística e Investigação Operacional
Economia, Gestão, Administração, Contabilidade Economia, Gestão Economia
Direito, Ciências Sociais e Serviços Ciências Sociais Sociologia
     
Áreas temáticas
Grupo Área Temática Sub-área Temática Área Temática
Ciências Matemática Matemática / Matemática Aplicada
Ciências Estatística Estatística 
     

 


TERESA COELHO CONDECORADA COM ORDEM DA LIBERDADE EM TIMOR-LESTE

TERESA COELHO CONDECORADA COM ORDEM DA LIBERDADE EM TIMOR-LESTE

19/05/2022

A técnica superior do GEP Teresa Coelho foi condecorada com a Ordem da Liberdade, pelo Presidente da República Democrática de Timor-Leste, Francisco Guterres Lú-Olo, no dia 18 de maio, em Díli, com outros quatro assessores portugueses.

O Presidente reconheceu o contributo dado por Teresa Coelho, desde 2000, a Timor-Leste. De acordo com a Agência Lusa, Francisco Guterres Lú-Olo destacou o seu papel na conceção técnica do sistema da Segurança Social de Timor-Leste e no Plano de Recuperação Económica do país, referindo que "É de toda a justiça prestar público reconhecimento à doutora Teresa Coelho por todo o trabalho realizado a favor de Timor-Leste e dos timorenses, trabalho realizado com elevada competência e sentido de responsabilidade, revelando sempre grande disponibilidade nas muitas funções que lhe foram confiadas".

Nesta condecoração, foram também assinaladas as suas qualidades humanas, técnicas e o rigoroso espírito de serviço público, para além do empenho em todos os trabalhos e as missões que lhe foram confiados.

Teresa Coelho está em Timor-Leste desde 2012, em licença sem vencimento por interesse público, a exercer funções de assessoria no Instituto Nacional de Segurança Social de Timor-Leste e tem tido um papel crucial na criação do sistema de segurança social do país.

Foto: Presidência da República Democrática de Timor-Leste

Mais informação


TIMOR-LESTE/20 ANOS: O QUASE DESCONHECIDO IMPACTO DA COOPERAÇÃO SOCIAL PORTUGUESA

TIMOR-LESTE/20 ANOS: O QUASE DESCONHECIDO IMPACTO DA COOPERAÇÃO SOCIAL PORTUGUESA

13/05/2022

O caminho de terra castanha da entrada contrasta com as cores que decoram as paredes do recinto principal do Centro Social de Nª Sr.ª de Fátima, um dos mais de 30 projetos sociais apoiados pela cooperação portuguesa em Timor-Leste.

No espaço ouve-se o som de música e as vozes de dezenas de crianças que ao ritmo compassado de palmas estão nas várias salas de aula do ATL, instalado ao lado da igreja de Padiae, perto da nova estrada alcatroada que une a capital do enclave de Oecusse-Ambeno à zona de Tono, no sul.

O projeto nasceu em 2002, iniciativa da congregação das Irmãs Franciscanas da Divina Providência que decidiram criar aqui, ainda hoje uma das zonas mais isoladas do país, um centro de acolhimento e apoio a crianças.

“Começamos com 37 crianças, as mais carenciadas, que não tinham pais ou quem os ajudasse a continuar o estudo. Hoje já temos 320”, explica a irmã timorense Mariana da Costa Araújo, rodeada de dezenas de crianças, de todas as idades.

Praticamente desde o início que o projeto contou com o apoio da cooperação portuguesa a que se juntou, mais tarde, o Ministério da Solidariedade Social e Inclusão, e hoje o centro de Padiae é um dos melhores exemplos do grande impacto da cooperação portuguesa no país.

Entre 2002 e 2021 a cooperação do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social português canalizou para Timor-Leste mais de 19 milhões de dólares para mais de 30 projetos e iniciativas em todo o país.

Centradas em particular no combate à pobreza, as iniciativas incluíram apoio a duas dezenas de equipamentos, beneficiando no total quase 30 mil pessoas anualmente.

Entre as extensas áreas abrangidas contam-se apoio socioeducativo de crianças e jovens, apoio alimentar, formação, apoio social à educação, saúde, apoio domiciliário, língua e bibliotecas, internatos, alfabetização de adultos e animação comunitária e apoio a populações vulneráveis, incluindo doentes com tuberculose e HIV.

O espaço de Padiae funciona como um ATL, acolhendo as crianças nos turnos em que não estão na escola.

“Quem tem escola de manhã, vêm para aqui à tarde. Os que têm escola à tarde ficam aqui de manhã e depois o nosso autocarro leva-os às várias escolas. Apoiamos com três refeições por dia, pequeno-almoço, almoço e merenda”, refere Mariana Araújo.

“Vejo as crianças ao nosso cuidado, que têm acesso a refeições melhores. E podem ver que eles estão bem alimentados. Temos muita atenção na alimentação porque quando as crianças andam na escola, sem alimentação razoável, isso não ajuda a aprender”, vinca.

O plano educativo — sob o mote “crescer na estatura, sabedoria e graça com Jesus” — abrange várias atividades, “a língua portuguesa acima de tudo, matemática, expressão plástica e música”.

Há atividades para crianças entre o primeiro e o 12º ano e até apoio para jovens que vão com bolsas estudar para Portugal ou a quem o centro aluga casa em Díli para estudarem na capital.

“Entre os medidos alguns foram tirar cursos em Portugal com bolsas de estudo, e outros no Brasil ou Moçambique, apoiados por padrinhos e que agora estão a trabalhar em Timor. Digo aos meninos: comeram aqui os vossos pratos, por isso têm que regressar para trabalhar em Timor”, refere a irmã.

A ligação a Portugal é evidente nas canções em língua portuguesa que as crianças ensaiam nas salas de aula — todo o complexo está em excelentes condições, fruto de limpeza e manutenção regular — mas também no exterior.

No recinto desportivo, as tabelas de uma quadra de basquetebol têm as bandeiras de Timor-Leste e Portugal, com as paredes decoradas com bonecos infantis a segurarem as bandeiras dos dois países.

Ao longo de uma das alas, pinturas dos rostos de alguns dos líderes históricos timorenses e também do padre João Felgueiras, hoje com mais de 100 anos e o português a viver há mais tempo no país.

Ao lado de cada uma das imagens, uma frase em defesa da língua portuguesa e da sua importância histórica para o país, incluindo o primeiro Presidente, Nicolau Lobato, Xanana Gusmão, Mari Alkatiri e José Ramos-Horta.

“O ensino da língua portuguesa em Timor é uma atividade que brota mais da alma e da vontade do povo do que qualquer outra iniciativa”, lê-se ao lado da imagem com o busto de João Felgueiras.

“Sem a língua portuguesa Timor seria um eterno escravo da cultura javanesa”, a frase de Xanana Gusmão, boné da resistência e camuflado, praticamente ao lado de outra do líder histórico, ‘à civil’ e montado numa mota: “Somos a meta de uma das 13 mil ilhas da Indonésia e só somos diferentes porque a nossa língua é o português”.

Numa das paredes está o retrato de Mari Alkatiri e uma das suas frases históricas sobre o português: “a interação entre a língua portuguesa, o tétum e a fé levou ao nascimento da nação timorense”.

Fonte: Reportagem da Agência Lusa: António Sampaio (texto) e António Cotrim (fotos)


ESCOLA DE FORMAÇÃO ANGOLANA VISITA MTSSS

ESCOLA DE FORMAÇÃO ANGOLANA VISITA MTSSS

09/05/2022

Decorreu nos dias 18 a 20 de abril de 2022, a visita de uma delegação angolana da Escola Nacional de Formação de Técnicos de Serviço Social (ENFOTSS), uma iniciativa realizada no âmbito da cooperação entre o MTSSS de Portugal e o Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher de Angola (MASFAMU), que tutela aquela escola vocacionada para a formação de base e especializada no domínio da ação social.

Chefiada pelo Diretor-Geral da ENFOTSS, Manuel Cafussa, a delegação incluiu dirigentes de diversos departamentos da Escola, que puderam partilhar experiências com colegas de vários organismos tutelados pelo MTSSS e ter contacto com boas práticas nas várias visitas que realizaram.

O programa, coordenado pelo GEP, incluiu um encontro com responsáveis do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e a visita aos Centros de Emprego e Formação Profissional da Amadora e de Aveiro, onde a delegação pode contactar com dirigentes, formadores e formandos e conhecer a oferta formativa, em particular nas áreas de cuidados de crianças e jovens, apoio familiar e à comunidade, geriatria, ação educativa, educação especial, pessoas com deficiência e auxiliar de saúde.

A delegação da ENFOTSS reuniu igualmente com a Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP), que apresentou os principais instrumentos do Sistema Nacional de Qualificações (SNQ), com destaque para o Catálogo Nacional de Qualificações e os processos de reconhecimento, validação e certificação de competências (RVCC). 

No Citeforma, houve ainda oportunidade para a visita a um dos muitos Centros Qualifica existentes em todo o país, estruturas do SNQ especializadas na qualificação de adultos, vocacionadas para a informação, o aconselhamento e o encaminhamento para ofertas de educação e formação profissional.